Textus_Têxtil_Trama



Tecer, bordar, costurar, tricotar; tudo isso é linguagem pra mim. Uma forma de escrita, de expressão individual, algo que assimilamos com o decorrer dos dedos no fio.


Essa é a verdadeira poética do fio, da linha, esse traço do horizonte que inspira e faz sonhar. Por isso gosto de usar palavra TEXTUS, pois nela habita um universo de história e ancestralidade.


TEXTUS vem do latim “tecer” ou “entrelaçar fios”. A palavra tecido surgiu na língua portuguesa a partir do latim textus, derivado de texere, que significa “tecer” ou “entrelaçar fios”. Esta mesma raiz etimológica acabou dando origem ao termo texto.



O têxtil, o texto e a trama estão intimamente ligados. Tecer é escrever, é criar uma nova linguagem.


Essa linguagem, que acima de tudo é sensorial, cheia de símbolos e afetos contida na arte de tecer, eu chamo de "textus_têxtil_trama". É como uma nova língua a ser desbravada.

O fazer manual, em especial a tecelagem, alinhava novas conexões e vínculos entre corpos, sua espacialidade e subjetividades.